Ações

Desembola na Ideia

A reinserção social de adolescentes em conflito com a lei que apresentassem uma relação problemática com as drogas foi o ponto de partida das ações desenvolvidas no Desembola na Ideia. A proposta era que as tecnologias de comunicação e da arte, acompanhadas por um atendimento psicossocial, fossem apropriadas pelos participantes de modo a estimular a reflexão e o redimensionamento do olhar sobre seus problemas e conflitos cotidianos.

Um piloto do projeto foi experimentado no ano de 2008, desenvolvido por uma equipe multidisciplinar responsável por acolher um grupo de 10 adolescentes a cada 4 meses. Além das atividades, em grupo e individual, havia atendimento às famílias e discussão dos casos com a equipe do Setor de Atendimento ao Adolescente em Situação Especial do CIA-BH (Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional de Belo Horizonte), parceiro da AIC nessa ação. O nome foi sugerido pelos próprios adolescentes, referido a uma gíria que traduzia o ponto básico da oferta de atendimento, “desembolar na ideia”, que significa “resolver problemas com conversa”.

Em 2012, o projeto foi ampliado e, com o nome de CAPUT (Centro de Atendimento e Proteção ao Jovem Usuário de Tóxicos), seguiu até 2015, com patrocínio da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, funcionando como uma clínica de atenção psicossocial, que prestou serviços a mais de 1.500 adolescentes e suas famílias. Desde 2016, novamente com o nome original, o Desembola na Ideia é realizado com o patrocínio da SulAmérica, recursos do Fundo da Infância e da Adolescência de BH (FIA/CMDCA), e cooperação da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais no PLUG Minas, sem as características de um serviço de Saúde Mental. mas com reforço da ação psicossocial orientada psicanaliticamente, combinada aos dispositivos da arte-educação e de uma permanente discussão política sobre os direitos da juventude.