Que 2020 foi um ano atípico, complexo e desafiador, nós não tentamos negar. Não teve serão nem mutirão de limpeza em nossa sede, nem fim de expediente que acaba em samba, forró ou botecoNão pudemos nos achegar nos territórios onde aprendemos tanto fazendo junto com as comunidadesNão teve a Festa do Saci em 31 de outubro, nosso mais autêntico SacilloweenAs já tradicionais viagens a trabalho para o Tocantins, Vale do Jequitinhonha ou interior de Pernambuco ficaram faltantes. A hora do café da tarde, com prosa na cozinha e disputa pelo pão doce, então, nem se fala! 

Saudade aqui é mato – mas teve um bocado de coisa bonita acontecendo também. Vários novos projetos ganharam o mundo e outros tantos se reinventaram para os tempos de quarentenaLançamos a campanha Faz Diferença, o projeto Inclusive Luísa e nossos Comitês Institucionais, enquanto os esforços para fazer frente à crise do novo coronavírus se multiplicavam: nascia a força-tarefa Periferia Viva e a campanha Comunidade Viva sem Fome, enquanto em Paracatu o Programa Integrar Contra a Covid-19 tomava corpo.