“Nó, tô pensando em desistir. Os fessores só fala coisa errada olhando pra mim. Outro dia foi uma empresa lá na sala, mas sei que a vaga não é minha”. A fala é de um jovem atendido pelo Desembola na Ideia, segundo conta a psicanalista Bárbara Afonso. A partir do atendimento do projeto, seu discurso se volta para a construção de um outro caminho possível“Minha mãe tá muito orgulhosa de mim, né? De eu tá indo nesse curso. O curso é meio chato, essas partes teóricas e tal, mas a parte prática é bem legal. É, acho que não vou ficar dando ideia nesse fessores que me olham torto, não”. 

O caso foi narrado em live realizada pela campanha Faz Diferença no dia 24 de novembro, intitulada Práticas transformadoras no encontro com jovens e adolescentes. Além de Bárbara, participaram do bate-papo Andrea Guerra, também psicanalista, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e coordenadora do PSILACS-UFMG, Josânio Alves, agente de segurança socioeducativo do Centro de Internação São Benedito. No mês da Consciência Negra, o evento buscou responder a uma pergunta desafiadoracomo fazer ranhuras na estrutura que oprime as juventudes e as leva à situação de vulnerabilidade, risco social e/ou conflito com a lei?