Em 2019, a relações públicas Luísa Camargos entrava para a equipe da AIC. Recém-formada, ela acabava de realizar um feito extraordinário: ser a primeira pessoa com Síndrome de Down a se formar e a atuar profissionalmente como RP no Brasil.

Luísa atua intensamente na mobilização pela sociedade inclusiva. Foi pensando em fortalecer essa atuação tão importante que, no final de 2019, ela e três colegas da AIC – Manu, Karla e Rafa – começaram a elaborar um artigo científico. A ideia do texto era, a partir de reflexões suscitadas pela experiência de vida da Lu, apontar que há um ciclo de invisibilidade das pessoas com deficiência que perpetua a segregação social dessas pessoas; e defender que a quebra de tal ciclo sensibiliza a sociedade e abre caminhos para a inclusão.

O artigo se tornou uma realidade em 2020 e foi submetido à seleção do XIV Congresso da Abrapcorp – Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas. Foi aprovado para apresentação no evento e para publicação nos anais do Congresso, além de elogiado pela comissão de seleção.

Dessa forma, no dia 30/09/2020, as quatro autoras apresentaram a produção num dos grupos de trabalho do Congresso da Abrapcorp. Naquele dia, Luísa realizava outro feito. Segundo especialistas da área, era a primeira vez que uma pessoa com Síndrome de Down apresentava um artigo em um congresso científico no país.

Nessa e em tantas outras jornadas de Luísa, como diz ela própria, “é muito amor envolvido”. Cada nova conquista nos traz muita alegria, mas também a lembrança de que os espaços que essa jovem tão corajosa precisa ocupar deveriam, na verdade, ser naturalmente abertos a ela – e a todas as pessoas. Afinal, a diversidade é uma condição humana e o direito à vida plena, com respeito às singularidades de cada um/a, deveria ser assegurado a todas e todos nós. É uma honra danada estarmos junto com a Lu espalhando essa mensagem aos quatro cantos.