A valorização do patrimônio cultural imaterial é o propósito que move a Rede de Patrimônio Criativo e Colaborativo, projeto iniciado em 2022 que desenvolve ações na Serra do Caraça, no Vale do Jequitinhonha, na região metropolitana de Belo Horizonte, no Vale do Aço e na Baixada Santista. O projeto é organizado em duas frentes: a de Educação Patrimonial e Educomunicação e a formação Fortalecer Nós, apresentadas a seguir.  

Frente de Educação Patrimonial e Educomunicação  

Nos municípios de Barão de Cocais, Catas Altas, Santa Bárbara, Rio Piracicaba, Pedra Azul, Araçuaí, Itinga e Rubim, no interior de Minas, o projeto busca fomentar o conhecimento e interesse de 120 jovens de 15 a 29 anos pelas manifestações culturais locais, e, ao mesmo tempo, contribuir com o mapeamento e registro da memória e com a difusão do patrimônio das localidades.  

Para isso, é oferecida uma formação gratuita que passa pelos conceitos de cultura e identidade cultural, pelo (re)conhecimento sobre a importância e riqueza do patrimônio imaterial e pela experimentação de produção em Tecnologias da Comunicação. Audiovisual, artes gráficas, fotografia, rádio e produção de conteúdo são as linguagens abordadas no percurso formativo, que tem duração de três meses em cada cidade. O patrocínio é do Instituto Cultural Vale, por meio de recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura. 

Frente Fortalecer Nós: descomplicando editais e projetos culturais 

Nesta frente de ação da Rede de Patrimônio Criativo e Colaborativo, os municípios de Cubatão (SP), Igarapé, Itaúna e Ipatinga (MG) recebem uma formação voltada a agentes culturais comunitários. A ideia é que os participantes atuem como protagonistas de ações de diagnóstico e difusão do patrimônio cultural e desenvolvam habilidades voltadas à mobilização de recursos e elaboração de projetos. Com isso, o projeto busca fortalecer e gerar perspectivas de sustentabilidade para 24 grupos e entidades culturais locais.  

As atividades presenciais e à distância contemplam sensibilização e levantamento de narrativas sobre o patrimônio das localidades, apresentação de estratégias de sustentabilidade e elaboração de projetos para submissão a editais. 

A formação Fortalecer Nós conta com patrocínio da Usiminas, nos municípios de Cubatão e Ipatinga, e da Mineração Usiminas, em Igarapé e Itaúna, com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura e apoio do Instituto Usiminas.   

Público

Por meio da Frente de Educação Patrimonial e Educomunicação, o projeto atende diretamente 120 jovens de 15 a 29 anos e alcança indiretamente cerca de 800 pessoas moradoras das localidades. Já na frente Fortalecer Nós, são contemplados 96 agentes culturais de 24 grupos ou entidades culturais. 

Ações realizadas

Confira a seguir as principais ações empreendidas.

Processos formativos

São oferecidas formações em formato híbrido, tanto para os jovens participantes quanto para os agentes culturais. Os processos formativos mesclam dinâmicas corporais e em grupo, atividades criativas, de sensibilização, entre outras, articuladas aos conteúdos teóricos e propostas de exercícios e desafios. 

Produtos comunicacionais

As oficinas de produção em linguagens da comunicação resultam em produtos radiofônicos, audiovisuais e cartilha com registros do patrimônio imaterial local, disponibilizados em plataforma do projeto. 

Eventos finais

Em cada uma das oito cidades da Serra do Caraça e do Vale do Jequitinhonha, as turmas produzem um evento de encerramento em espaço aberto e público, para exibição gratuita dos produtos das oficinas e apresentações de grupos da cultura local mapeados no projeto. 

Tutoria para a escrita de projetos

Os grupos culturais atendidos recebem tutoria da equipe para elaborar e aperfeiçoar um projeto, que ao final do percurso é submetido a um edital com vistas à sustentabilidade da iniciativa. 

Parcerias

Galeria